O açúcar da vida, por Margarida Rebelo Pinto.


As saudades mudam de cor todos os dias. São brancas quando é a esperança que ilumina o caminho, ficam azuis se o tempo de espera é longo, encarnadas quando ardemos de paixão, cinzentas quando já não acreditamos e pretas quando a morte nos leva os que amamos.
(...)
É TÃO bom sentir saudades de alguém! As saudades arrancam-nos do dia-a-dia, põe-nos a sonhar, a comprar discos antigos e a renovar o stock de almofadas da sala.

As saudades fazem-nos companhia. Às vezes estão tão presentes que é como se se materializassem: então chamamos por elas, batemos no estofo da cadeira ao lado da nossa e convidamo-las a sentarem-se ali connosco, como se de um amigo de escola se tratassem. E é nesse momento que ganham movimento, luz, se enchem de cores e já não são um sentimento abstracto, mas uma presença real nas nossas vidas.

Houve momentos da minha vida em que acordei com tantas saudades de alguém que mal me conseguia levantar. Outras vezes, aqueles que amo e que já partiram aparecem-me em sonhos e é quando penso que talvez o sono seja mesmo uma segunda vida e que as almas perduram no eterno para lá da existência corpórea.
(...)
E tudo isto são diferentes expressões do mesmo sentimento que me alimenta o património afectivo e me forra o coração a papel de seda. Sento-me a observar o vai e vem incessante de bando de miúdos nos quais reconheço feições de velhos amigos e dou comigo a lamber a ponta dos dedos para não perder nem um grão do açúcar da vida.

14 comentários:

Vanessa ൪ disse...

é do novo livro dela ? :o

mary disse...

oh adoro:)

Vanessa ൪ disse...

Já encontrei minha querida, obrigada *

Sylvie. disse...

obrigada sara :D

Danii disse...

é mesmo :b
adoro *

Sara Martins disse...

Entendo pequenina! <3

annie disse...

adoro!

Carolina disse...

Lindo mesmo. (:

simple soul disse...

obrigada de coraçao querida (: e igualmente *.*

inês disse...

obrigada minha linda!

Mariana F. disse...

lindo! das melhores escritoras (:

marie disse...

opá ela sabe sempre o que dizer na hora certa! parece que quando lemos algo dela está sempre de acordo com o que estamos a passar* gostei!
vou acompanhar-te, prepara-te <3

p. disse...

pois, eu adorei o documentário*

beatriz disse...

é raro a altura que nao encontramos um execrto dela que se identifique na perfeiçao connosco, é fantástica